Destaques

Como a Ibitu vem investindo no mercado livre de energia

Como a Ibitu vem investindo no mercado livre de energia

Diante do crescimento exponencial do mercado livre de energia no Brasil, a Ibitu se destaca como uma das empresas de energia mais capacitadas para suportar esse crescimento e ofertar o que o mercado necessita.

Entre 2018 e 2019, as vendas no mercado livre de energia responderam a 75% da energia produzida. Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), existem 70 mil unidades consumidoras que já poderiam migrar para esse modelo de compra.

Com portfólio de 877 MW de energia 100% renovável, de fontes eólica, solar e hídrica, a Ibitu é, hoje, uma das principais geradoras de energia do país e figura entre as cinco maiores geradoras eólicas em operação comercial no mercado livre. Nesse quesito, em especial, vai ao encontro de uma grande tendência de geração de energia no Brasil.

Isso porque, em 2021, a energia eólica representou um quinto da demanda de todo o Sistema Interligado Nacional (SIN), o nosso sistema de produção e transmissão de energia elétrica que abrange todo o País. Somente no dia 21 de julho, a energia eólica respondeu por 99,9% da demanda da região Nordeste, significando o fornecimento de 11.094 MW médios no dia. É nessa região, inclusive, que a Ibitu concentra grande parte de sua operação atualmente.

Aliando os benefícios de obter energia totalmente verde e ainda com preços e demandas adequados para as necessidades de cada cliente, a Ibitu estruturou o crescimento de seu portfólio para disponibilizar no Ambiente de Contratação Livre (ACL) e por meio de operações de venda a longo prazo de 10 a 15 anos, viabilizando os investimentos.

Para tanto, houve um planejamento comercial detalhado, contemplando análises, previsões, monitoramentos e diagnósticos. A empresa tem um pipeline de projetos de crescimento de 1,7 gigawatts (GW), dos quais 211 MW estão em construção e 675 MW já estão viabilizados por meio de PPAs assinados, somando 886 MW, com entrada em operação faseada até 2025, divididos em fontes eólica e solar.

De olho nas transformações que estão ocorrendo no setor de energia para os próximos anos, a Ibitu segue investindo na elaboração das melhores estratégias comerciais que atendam a essas novas demandas. Em entrevista ao Canal Energia, publicada em janeiro de 2022, o Gerente de Comercialização de Energia da Ibitu, André Queen, explicou que a empresa está preparada para “o mercado de hoje e do futuro, antecipando tendências e os anseios dos clientes, e posicionando a Ibitu nesse novo ambiente do setor em transformação”.

Compartilhe