Destaques

Em apoio à linha de frente no combate à pandemia

Em apoio à linha de frente no combate à pandemia

Após quase dois anos de pandemia, tivemos muitos avanços no combate à covid-19, especialmente devido à boa adesão à campanha de vacinação.

Mas, estamos longe do fim da pandemia e seu controle depende de uma grande união e cooperação de toda a sociedade. Nesse sentido, a Ibitu não mede esforços para fazer a sua parte.

Exemplo disso foi a sua recente doação no valor de R$1,8 milhão ao matchfunding BNDES Salvando Vidas, projeto que visa arrecadar valores para compras de insumos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) destinados a profissionais de saúde e pacientes.

O valor doado pela Ibitu será destinado para a compra desses materiais para hospitais públicos e filantrópicos do estado do Piauí, onde a empresa está construindo o Complexo Solar Caldeirão Grande 2.

Com o valor doado pela Ibitu, será possível adquirir mais de 1.247.500 itens, tais como:

● Álcool em gel;
● Aventais impermeáveis e permeáveis;
● Luvas nitrílicas e cirúrgicas;
● Toucas:
● Máscaras cirúrgicas e N95.

Esse montante doado será dividido e atenderá a demanda por quase um ano destas cinco instituições:

● Associação Piauiense De Combate ao Câncer, em Teresina;
● Hospital Justino Luz, na cidade de Picos;
● Hospital Municipal de Caldeirão Grande do Piauí, no município de Caldeirão Grande do Piauí;
● Hospital de Marcolândia, em Marcolândia;
● Hospital Municipal Zuca Batista, em Simões.

Atuação da Ibitu no Piauí

A escolha do local para doação é mais significativa para a Ibitu e revela sua atenção para o apoio das comunidades locais onde atua.

O Complexo Solar Caldeirão Grande 2 está sendo construído em uma área de 430 hectares na Serra da Batinga e terá capacidade instalada de 213 MW, o equivalente ao consumo de mais de 280 mil casas brasileiras.

Com investimento em torno de R$ 767 milhões, a obra vai trazer benefícios, como:

● Geração de cerca de 900 empregos diretos e indiretos;
● Desenvolvimento econômico e social;
● Melhorias na infraestrutura e arrecadação de impostos;
● Contribuição para tornar o estado uma potência nacional em geração de energia renovável.

“Hoje, operamos em seis estados – Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí, Minas Gerais, Mato Grosso e Santa Catarina – e contribuímos para evitar a emissão de aproximadamente 1,26 milhões de toneladas de CO2. Diante de uma pandemia sem precedentes, há quase dois anos, que vem exigindo muito de todos nós brasileiros, nos sentimos na obrigação de cooperar de forma efetiva”, afirma Gustavo Ribeiro, Presidente da Ibitu.

O executivo acrescenta que “temos um importante papel no futuro, mas também no nosso presente, por isso, buscamos uma forma de mitigar esse impacto nas comunidades que tanto conhecemos ao longo do nosso trabalho, fora do eixo de grandes capitais que acabam concentrando grandes esforços e doações”.

Compartilhe